Segunda, 17 Agosto 2020 11:37

Setor de serviços cresce 5%, mas ainda sem recompor perda

Abertura de restaurantes e retomada de voos ajudou o setor, que é o principal componente do PIB

Após quatro meses consecutivos de queda, o setor de serviços fechou junho em alta de 5%. Ainda assim, a atividade do setor se encontra 14,5% abaixo do registrado antes da pandemia. 

Principal motor do PIB (Produto Interno Bruto), o setor foi o mais afetado pelas restrições à circulação para enfrentar a pandemia do novo coronavírus. Foi o único entre os grandes setores que ainda não havia mostrado sinais de recuperação.

Indústria e varejo já haviam avançado em maio e mantiveram a tendência em junho: a indústria cresceu 8,9%, puxada pela produção das montadoras de veículos, e o comércio teve alta de 8%, com forte influência das vendas em supermercados.

O setor já vinha de um início de ano ruim, com recuo também em fevereiro, antes do início da pandemia. Após o fechamento de lojas e edifícios comerciais, registrou tombo recorde em abril, com queda de 11,9%

Em junho, teve a segunda maior alta da série histórica, atrás apenas dos 6,7% de junho de 2018, mês posterior à greve dos caminhoneiros. Os cinco grupos de atividades pesquisadas tiveram alta, com destaque para transportes, serviços auxiliares aos transportes e correio (6,9%) e serviços de informação e comunicação (3,3%).

Agenda

Nenhum evento no calendário
JANEIRO 2021
Dom Seg Ter Qua Qui Sex Sáb
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31
Não há eventos programados!